29 de abr de 2011

Príncipe William e Kate Middleton se casam na Abadia de Westminster


William Arthur Philip Louis e Catherine Middleton, agora duque e duquesa de Cambridge, casaram-se oficialmente às 7h20 (horário de Brasília) desta sexta-feira (29) na Abadia de Westminster, em Londres.
O "sim" da então plebeia Kate Middleton ao príncipe William foi dito precisamente às 7h16, antes  do início dos juramentos e da troca de alianças. O matrimônio, nos moldes da Igreja Anglicana, religião oficial da monarquia britânica, foi celebrado pelo arcebispo de Canterbury, Rowan Williams.
Usando um vestido branco com rendas nos ombros e nos braços e um decote em V, Kate deixou o Hotel Goring, próximo ao Palácio de Buckingham, às 6h52. O tão especulado modelo da noiva foi desenhado por Sarah Burton, diretora de ciração da grife de Alexander McQueen, estilista britânico morto no ano passado. Os cabelos estavam presos com uma tiara Cartier, presente da Rainha Mãe à Elizabeth II e emprestada por esta a Kate.A cerimônia de cerca de uma hora começou pouco após as 7h, com a passagem de ambos os noivos - cada um a seu lado - pelos longos tapetes vermelhos da igreja. Eles se encontraram no altar às 7h08, trocando olhares, sorrisos e comentários em voz baixa. De acordo com um especialista em leitura labial ouvido pelo diário britânico "The Guardian", as primeiras palavras de William à noiva teriam sido: "Você está linda".
No trajeto até a abadia, acompanhada do pai, Michael Francis Middleton, ela acenou bastante para os curiosos que se espremiam nas calçadas para ver a futura princesa passar.
Kate chegou aos portões da Abadia de Westminster exatamente às 7h, onde William, usando um traje militar vermelho, já a esperava desde as 6h22 para o início da cerimônia.
Kate Middleton deixa carro ao chegar à abadia (Foto: AP)Kate Middleton chegar à Abadia de Westminster usando vestido desenhado por Sarah Burton (Foto: AP)
Convidados e curiosos
Além dos irmãos William e Harry, que já estavam no local, Príncipe Charles e sua mulher, Camilla Parker Bowles, foram os primeiros da família real a chegar para a celebração, por volta das 6h45. A rainha Elizabeth II veio logo em seguida vestindo roupa e chapéu amarelos.

A mãe da noiva, Carole Middleton, foi à cerimônia usando um modelo criado pela estilista francesa Catherine Walker. Ela é conhecida por ter desenhado mais de mil peças do guarda-roupas da princesa Diana, incluindo o vestido preto com o qual ela foi enterrada em agosto de 1997.

Entre os convidados também estavam o conde Spencer, irmão de Lady Di, o cantor Elton John - que foi com o companheiro, David Furnish - e o nadador Ian Thorpe.Vestido com terno Ralph Lauren e um chapéu, David Beckam foi um dos primeiros entre os 1.900 convidados oficiais a chegar ao templo. Sua esposa Victoria, grávida do quarto filho, usava um vestido azul escuro, criação dela própria, uma das cores mais populares para o casamento real.
Do lado de fora da abadia, ao longo dos arredores de Westminster, uma multidão de curiosos se acotovelava para ver passar a procissão do casamento real. Turistas e ingleses já estavam acordados desde a madrugada para acompanhar o evento. 
Carruagens e beijos
Por volta das 8h10, William e Kate deixaram a Abadia de Westminster em uma carruagem aberta até o Palácio de Buckingham, a residência real, onde serão oferecidos uma cerimônia de recepção e um almoço para cerca de 600 convidados.

William e Kate foram seguidos em cortejo por outras carruagens que transportavam a rainha, Charles e outros membros da monarquia britânica.
O trajeto foi acompanhado por dezenas de milhares de pessoas nas ruas e, apesar das previsões de chuva, ocorreu sob um tímido sol da manhã londrino.
Por volta das 9h30, os recém-casados apareceram na varanda do Palácio de Buckingham para saudar a multidão. Eles permaneceram por cerca de cinco minutos e trocaram dois beijos.
Após o almoço no palácio, William pegou emprestado do pai o carro Aston Martin conversível, modelo DB6 Mark II, e levou a esposa até a residência de Charles, em Clarence House, onde mais tarde haverá o jantar de casamento.
Em um Aston Martin emprestado pelo pai, William leva Kate até Clarence House (Foto: Chris Ison-pa/AP)Em um Aston Martin emprestado pelo pai, William leva Kate até Clarence House (Foto: Chris Ison-pa/AP)
William, duque de Cambridge
Na manhã desta sexta-feira, poucas horas antes de se casar, William recebeu de sua avó, a rainha Elizabeth II, o título de duque de Cambridge. O título de duque é o mais alto da hierarquia da nobreza britânica, somente abaixo de reis e príncipes.

William também recebeu outros dois títulos menores, o de conde de Strathearn e de barão de Carrickfergus.
Segundo a tradição do trono britânico, os homens da realeza recebem um título de nobreza na manhã de seu casamento. Cabe ao monarca da ocasião escolher o título.
Público cai na água em fonte no Mall para celebrar o casamento real (Foto: AP)Público cai na água em fonte no Mall para celebrar o casamento real (Foto: AP)
O pai de William, o príncipe Charles, primeiro na linha de sucessão ao trono britânico, foi nomeado pela mãe príncipe de Gales no dia de seu casamento com Diana, que se tornou a princesa de Gales, em 1981. William é o segundo na linha de sucessão à Coroa.
Nascido em 21 de junho de 1982, William é o filho mais velho de Charles e Diana e o terceiro neto mais velho da rainha Elizabeth II e do príncipe Philip.  
O príncipe William e sua noiva, Kate Middleton, em fotografia oficial do noivado (Foto: AP)
O príncipe William e Kate Middleton, em fotografia
oficial do noivado (Foto: AP)
Catherine, duquesa de Cambridge
Mais velha de três irmãos, Catherine Middleton nasceu em 9 de janeiro de 1982 numa família de classe média que vivia em Berkshire, zona oeste de Londres.  Seu pai, Michael, trabalhava como piloto de aviões, e a mãe, Carole, era comissária de bordo, mas depois montou uma empresa que vendia acessórios para festas pelo correio.

Kate conheceu o príncipe William na Universidade Saint Andrews, na Escócia, em 2001, onde estudou história da arte. O casal vivia junto com outros amigos numa república estudantil. Em abril de 2004, ela já ia com William, Harry e Charles à viagem anual de esqui na Suíça, causando alvoroço entre os fotógrafos.
O casal chegou a romper em 2007, quando William foi transferido para outros lugares da Grã-Bretanha como parte do seu treinamento militar, segundo a imprensa.
O noivado de Kate e William foi anunciado ao mundo em novembro de 2010.
Em 24 de fevereiro, o príncipe e a então namorada participaram de seu primeiro evento oficial juntos, num prenúncio da vida de assédio que os espera.
Depois de casados, eles pretendem morar em uma casa de campo alugada na ilha de Anglesey, no norte do País de Gales. O príncipe já reside no local, onde deve servir até 2013 como piloto de busca e resgate da Força Aérea Real britânica (RAF, sigla em inglês).
O destino da lua-de-mel do casal vem sendo mantido em segredo até agora. Em sua primeira viagem oficial como marido e mulher, eles visitarão o Canadá entre 30 de junho e 8 de julho, onde deverão participar das festividades do dia nacional canadense, em 1º de julho.
Fonte: G1

Monarquia britânica fascina o mundo

É a mais importante, fascinante e encantadora monarquia do planeta. A atual soberana é a rainha Elizabeth II. O herdeiro direto do trono é Charles, o príncipe de Gales. Ele casou em 1981, com a jovem Diana, com quem teve dois filhos: William e depois, Harry. O mais velho passou a ser o segundo na linha de sucessão ao trono.


É ele quem vai subir agora ao altar. A noiva é Kate, uma plebeia que o príncipe William conheceu durante a faculdade, na Escócia. Como muitos jovens de hoje, eles quebraram todos os protocolos da realeza: já moraram juntos, chegaram a terminar o namoro, reataram e, finalmente, noivaram diante de uma rajada de flashes e holofotes.
O casamento será acompanhado - pela TV - por nada menos do que dois bilhões de pessoas ao redor do mundo. O casal vai morar no país de Gales, onde fica a base de busca e salvamento da Real Força Aérea britânica. É onde o príncipe William serve como oficial aviador. Ele é piloto de helicóptero de resgate.
O destino final do príncipe William e da mulher dele, Kate, é o Palácio de Buckingham. Um dia, William será rei. O primeiro filho dele com Kate será o sucessor direto ao trono e assim por diante.
Na monarquia parlamentarista britânica o rei ou a rainha é chefe de estado e o primeiro-ministro, chefe de governo. De fato, o monarca britânico tem poder até de demitir o primeiro-ministro e dissolver o Parlamento, convocando novas eleições, mas isso geralmente só acontece de comum acordo entre os políticos e o soberano.
Na prática, rei ou a rainha não passam de representantes de luxo do país em cerimônias, visitas de estado, datas históricas e outros eventos. Um papel que desde o noivado, William e Kate já estão representando muito bem.
Fonte: JH

Governo estabelece novas regras para a movimentação de cheques

A fama do cheque não é boa entre os comerciantes. Em alguns postos de gasolina ele não é aceito como opção de pagamento. Num deles fica claro o motivo: na mesa do gerente estão dezenas de cheques devolvidos por falta de fundos. “Ninguém voltou pra tentar fazer o pagamento de outra forma, então o prejuízo fica com a gente”, diz Alisson Proazzi, gerente do posto.


Há seis anos, o posto não recebe cheques, mas em pequenos comércios, não tem jeito. “Se parar de receber cheque diminui ou altera o movimento”, diz Rubens Salles, gerente de salão de beleza.
Agora bancos e correntistas terão regras mais rígidas para a concessão e a utilização dos cheques. Nos novos contratos as instituições terão de especificar as exigências para o cliente ter direito a talão de cheque. Em um ano, os contratos antigos também terão de ser adaptados às regras.
Esse é o mesmo prazo para que os bancos ofereçam aos comerciantes um serviço de consulta sobre a situação dos cheques. Em seis meses, a data de emissão das folhas de cheque terá de ser impressa nos talões.
“Se o cheque foi confeccionado há um ano, dois anos, isso ajuda o comerciante ou quem for receber o cheque, se aquele cheque tem suspeitas de ser um cheque fraudado, roubado etc”, explica Sérgio Odilon dos Anjos, chefe do departamento de normas do Banco Central.
Mas a principal mudança entra em vigor nesta sexta-feira (29) e mexe com a vida dos correntistas. Quem quiser sustar um cheque alegando roubo, furto ou extravio vai ter dois dias para apresentar ao banco um boletim de ocorrência policial para validar a contraordem. O registro só não será exigido nos casos de quebra de contrato.
Segundo o Banco Central, as regras vão dar mais segurança, principalmente para os comerciantes que se vêm às voltas com numero impressionante: no ano passado, 61 milhões de cheques devolvidos no país.
Fonte: Jornal Hoje

Direitos

Trabalho informal
Quem trabalha sem carteira assinada precisa pedir o vínculo empregatício através de uma ação trabalhista. Aí teria todos os direitos de um trabalhador registrado.

Perda da carteira de trabalho
Pode comparecer ao INSS ou ao Ministério do Trabalho. Eles podem te informar todos os vínculos empregatícios que já teve. Também pode pedir para as empresas onde trabalhou que refaça os registros na nova carteira, mas é mais difícil pois o trabalhador precisaria apresentar outros documentos.

Verbas rescisórias
Existem dois prazo para o pagamento. Ele é de um dia após o término do contrato para quem trabalhou durante o aviso prévio. Uma segunda opção é até o décimo dia, quando o aviso prévio é indenizado e o trabalhador não precisa cumprir o aviso prévio. Se não houver o pagamento dentro do prazo, existe uma multa e é preciso ingressar com uma ação judicial.

Salário defasado
Pode-se pedir equiparação salarial para que o salário seja idêntico a uma pessoa que trabalhe em serviço semelhante. Por outro lado, deve-se verificar se a defasagem não é em relação a categoria. Se houver reajuste anual da categoria, este deve ser aplicada em todo início de convenção coletiva.

Acidentes de trabalho
Se causar incapacidade parcial, receberá um benefício chamado auxílio-acidente. Não é aposentadoria e deve-se retornar ao emprego. É óbvio que não irá conseguir executar as mesmas atividades e por isso recebe esse auxílio. A estabilidade é de 12 meses e o benefício continua até a aposentadoria. Por outro lado, a aposentadoria por invalidez só acontece se houver incapacidade total e permanente, somente em casos muito graves.

Falência
O empregado tem todos os direitos, mas precisa ver se a empresa falida tem condições de pagar esses valores.

Fonte: Jornal Hoje

Rescisão trabalhista é um dos assuntos que gera mais dúvida

Se o funcionário é demitido sem justa causa, ele tem direito a:
- férias e 13º salário
- aviso prévio
- FGTS
- 40% de multa sobre o FGTS
- seguro desemprego

Especialistas tiram dúvidas sobre processos trabalhistas
Normalmente nos preparamos para conquistar um emprego, mas não para perdê-lo, por isso a rescisão contratual gera tantas dúvidas. Contudo, se o caso for da empresa fechar de uma hora para outra, a justiça trabalhista é a melhor opção, alerta a advogada trabalhista, Gianella Cataldi. “Através de um pedido de tutela, o juiz determina por alvará a liberação do seguro desemprego, do fundo de garantia e determina que faça a anotação da baixa na carteira de trabalho do empregado”, explica.
Outra dúvida dos internautas é sobre saúde: “Quanto tempo de estabilidade eu tenho no emprego se eu ficar doente ou sofrer acidente?”, pergunta Emerson Lins dos Reis, ourives.
Depois de uma licença do INSS a estabilidade no emprego é de um ano. Há casos em que a doença pode se manifestar só quando o trabalhador deixa o emprego. “Ele percebe que ele tem uma deficiência auditiva, por exemplo, uma LER (lesões por esforços repetitivos), aí é possível abrir ações de indenização. A gente precisa fazer prova e verificar a culpa da empresa nessa situação neste estado de saúde”, explica a advogada.
Os prazos também são importantes na justiça trabalhista. Uma pessoa que saiu de um emprego tem até dois anos para entrar na justiça contra o ex-patrão, mas só pode questionar os últimos cinco anos que passou trabalhando na empresa.
As horas extras costumam gerar conflitos. Se forem pagas ao trabalhador por um longo tempo podem ser incorporadas ao salário. “O que não pode é horas extras constantes. Se a pessoa faz duas horas todos os dias, o extraordinário se tornou comum, então se tornou comum, não é mais banco de horas”, orienta Carlos Eduardo Faria Dantas, advogado.
“E como eu fiscalizo o depósito do meu INSS?”, pergunta Brian Gomes, atendente. Vá pessoalmente a um posto do INSS e informe o número do cadastro na Previdência.
A empresa é obrigada a pagar um mês de férias adiantado. O pagamento tem que ser feito dois dias antes das férias começarem. O trabalhador também pode tirar só 20 dias e vender 10, mas atenção, a regra não vale para todas as idades.
“O trabalhador menor de 18 ou maior de 50 obrigatoriamente, sempre, vai ter 30 dias. “Precisariam de um tempo maior para descansar. Para repor as energias e voltar com mais vontade”, completa Dantas.
Fonte: Jornal Hoje

Conheça a cidade que abriga um berçário de baleias no sul da Bahia

Cidade que abriga berçário de baleias fica no sul da BahiaA aventura começa em Salvador, com a travessia de ferry boat de uma hora até a ilha de Itaparica. Depois viagem para o continente pela BA-001. Pela BR-101 chega-se até a cidade do Prado, a 785 km de Salvador. A região é um importante berçário de baleias jubarte que procuram as águas mornas do sul da Bahia para namorar e ter filhotes.
O passeio de escuna para avistamento de baleias custa, em média, R$ 60 por pessoa e dura o dia inteiro. Prado conta com 84 km de praias quase intocadas e todo lugar tem um ar de paraíso. A natureza surpreende o tempo todo.

O artesanato do extremo sul faz sucesso entre os visitantes, uma arte que os mais velhos ensinam aos mais novos.

Prado concentra a maior quantidade de hotéis e pousadas da Costa das Baleias. São 30 mil leitos e diárias que variam de R$ 50 a R$ 1.500. Nesse empreendimento o turista pode encontrar ainda casas para 15 pessoas por R$ 7 mil reais por semana.
A atividade econômica principal da Costa das Baleias é a pesca. Na colônia são 1.200 pescadores. As marisqueiras limpam 20 quilos de camarão por dia.
O mar da Costa das Baleias guarda ainda um tesouro ecológico. São quilômetros de recifes que estão intactos sob as águas. É onde se reproduz o budião azul - um peixe que se alimenta exclusivamente dos 19 tipos de corais existentes lá.
O peixe budião é muito consumido e é a estrela do cardápio do chefe Luiz Azevedo. Ele incrementa a receita com suco de pitanga, purê de batata. Uma delícia para duas pessoas por R$ 48.
Depois que o turista conhece Prado fica fácil entender porque a cidade é uma das mais procuradas do sul da Bahia e recebe meio milhão de visitantes por temporada.
Fonte: Jornal Hoje
 

Atualmente

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

.