30 de mai de 2013

Programação Oficial do 17º SANTO ANTÔNIO DO POVO.

DESAPARECIDO É DE SANTANA DO SERIDÓ - RN

"- Hoje o dia amanheceu muito complicado para mim e minha família, pois o meu primo Edson de Azevedo Macêdo saiu de casa ontem a tarde com destino a Acarí -RN e até esta data não retornou para casa nem deu noticias, estamos todos muitos preocupados com o seu sumiço. Por isso peço a Oração e a força de todos e a ajuda de quem quiser compartilhar. e quem souber de alguma noticia por favor ligue para o número da sua irmã Elenice Azevedo (84)99158377. Agradeço desde de já a todos que estão empenhados para encontra-lo!"


Fonte: Joyce Azevedo

24 de mai de 2013

Prefeito de Parelhas Francisco Medeiros (PT) e Prefeitos e Secretários de Saúde de Caicó, Currais Novos e Santa Cruz discutem implantação do Samu Seridó-Trairi


Ontem (23), o Prefeito de Parelhas Professor Francisco Medeiros (PT) e o Secretário de Saúde do município Tarcisio da Costa Clementino se reuniram em Natal com o Secretário de Estado da Saúde Pública, Luiz Roberto Fonseca, a Coordenadora Geral do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Cecília Picinin além de outros prefeitos e secretários de Saúde de Caicó, Currais Novos e Santa Cruz. Foi discutido o processo de Regionalização do Samu, que seque para a terceira etapa e irá contemplar municípios do Seridó-Trairi. Durante a reunião os prefeitos conheceram a estrutura necessária para a implantação das bases descentralizadas, o perfil do serviço prestado e as atribuições do Estado e dos municípios. 
A chegada do Samu vem somar uma série de medidas que irão permitir o atendimento de qualidade à população, como fechamento das escalas médicas, reformas dos hospitais e estruturação de salas de estabilização. O Samu atende a 29 municipios do Rio Grande do Norte, com 24 Unidades de Suporte Básico e seis Unidades de Suporte Avançado, além da Unidade de Suporte Avançado Neonatal, motolâncias e viaturas de intervenção rápida.
Fonte: Blog Francisco Do PT

Despedida a Padre Antônio

Acari sediará o I Congresso Diocesano de Oração por Cura e Libertação



Nos dias 25 e 26 de Maio acontecerá em Acari o Encontro Diocesano de Cura e Libertação da Diocese de Caicó. A programação do encontro inicia-se no sábado (25) às 14h. Será um dia de Formação para os servos da RCC no Centro Pastoral de Acari localizado ao lado da agência dos Correios. No domingo (26), as atividades iniciam-se às 8h da manhã no Ginásio de Esportes localizado no sentido da saída para Currais Novos. O encontro encerra-se às 15h30min da tarde, havendo intervalo para o almoço entre os turnos (manhã e tarde).

Veja mais informações no blog da Renovação Carismática Católica de Acari (RCC): www. rccacari.blogspot.com.br

Fonte: Blog do Davi Neto

22 de mai de 2013

PREFEITURA DE PARELHAS REALIZA 2ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO



A Prefeitura Municipal de Parelhas através da Secretaria de Educação em parceria com o Conselho Municipal de Educação realiza hoje (22) na Sede da Secretaria a 2ª Conferência Municipal de Educação com o tema: "O PNE na articulação do Sistema Nacional de Educação: participação popular, cooperação federal e regime de colaboração".


A Conferência tem por objetivos promover intercâmbio entre a sociedade e os profissionais da educação; eleger propostas voltadas para uma politica de gestão democrática com inclusão a serem apresentadas na Conferência Intermunicipal que acontecerá em Currais Novos; e definir diretrizes que deverão orientar as politicas públicas para a educação pelos próximos anos.


O Prefeito, Professor Francisco Medeiros (PT), ressaltou a importância das conferências para os municípios, uma vez, que são ações deste porte que possibilitam que a Sociedade Civil tenha voz e voto, podendo assim decidir as propostas que serão levadas para a etapa intermunicipal, estadual e nacional da conferência.


Além do Prefeito, do Vice-Prefeito José Rogério Dantas (PMDB), da Secretaria de Educação Ildelita Roque, participam da conferência Secretários Municipais, a Presidente da Câmara de Vereadores Maria da Guia Dantas Araújo (PSDB), Vereadores, a Secretaria de Educação de Jardim do Seridó Marecilda Bezerra, Gestores Escolas, e representantes de pais e alunos.


Fonte: Blog Francisco do PT

20 de mai de 2013

PREFEITO FRANCISCO MEDEIROS EMPOSSA MEMBROS DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER



Na última Quinta-Feira (16), o Prefeito de Parelhas, Professor Francisco Medeiros (PT) realizou na sede da Secretária Municipal de Educação através da Lei N° 2280/2013, de 16 de abril de 2013, na qual dispõe sobre o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher no Município de Parelhas/RN os membros que compõem o Conselho através de representantes de entidades governamentais e não governamentais.

Relação dos membros e entidades que representam:

SECRETARIA MUNICIPAL DA ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO

  - Maria das Graças Diniz Lima – Titular 
  - Raissa Paula Sena dos Santos – Suplente.

SECRETARIA MUNICIPAL DO GABINETE CIVIL

  - Gildete Maria da Silva Lima– Titular
  - Gislayne Suelen Pereira de Oliveira – Suplente.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

  - Rogéria Layane Caldas Dantas – Titular
  - Régia Maria de Assis – Suplente.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

  - Nazilda Maria Tavares da Silva – Titular
  - Maria da Glória Lima Medeiros – Suplente.

SECRETARIA MUNICIPAL DAS FINANÇAS, DO PLANEJAMENTO E DA TRIBUTAÇÃO

  - Adeilza Dantas de Macedo Azevedo – Titular.
  Weinny Bruna da Nóbrega - Suplente

SECRETARIA MUNICIPAL DO TURISMO E DA CULTURA E DO ESPORTE

 -  Rejane Araújo de Assis Medeiros – Titular
 - Lubieska de Sena Florentino  -   Suplente

SINDICATO DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS RURAIS DE PARELHAS - STTRP

- Maria de Fátima Azevedo Dantas – Titular
- Ivaneide Mourinho da Costa – Suplente

ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO DO BAIRRO SÃO SEBASTIÃO

 - Maria Aparecida dos Santos - Titular
- Josevania da Silva Santos – Suplente

ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

- Priscila da Silva Galdino - Titular
- Ednalva Belo da Silva – Suplente

ASSOCIAÇÃO DOS CERAMISTAS DO SERIDÓ

- Maria Auxiliadora do Nascimento Azevedo – Titular
- Ednaira Medeiros de Oliveira Cirne – Suplente

ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO DE BOA VISTA - ADECOB

 - Maria de Fátima Santos - Titular
 - Joana Maria da Conceição Neta – Suplente

REPRESENTANTES DAS RELIGIÕES

- Evaneide Araujo de Souza Mendonça – Titular
- Aurélia de Lima Costa – Suplente 

13 de mai de 2013

DIA DA FRATERNIDADE BRASILEIRA - 13 DE MAIO - HISTÓRIA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE


Expressa no primeiro artigo da Declaração universal dos direitos do homem, a fraternidade é a afirmação de que todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos, são dotados de razão e de consciência e devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

É um conceito filosófico profundamente ligado às ideias de Liberdade e Igualdade e com os quais forma o trio que caracterizou grande parte do pensamento revolucionário francês. Vale lembrar que dos três foi o único que não esteve no lema Iluminista que era "Liberdade, Igualdade e Progresso".



Fraternidade é uma ideia que estabelece o homem como animal político, fez uma escolha consciente pela vida em sociedade e para tal convive com seus semelhantes numa relação de igualdade, visto que em essência não há nada que hierarquicamente os diferencie: são como irmãos (fraternos). Este conceito é a peça-chave para a plena configuração da cidadania entre os homens, pois, por princípio, todos os homens são iguais. De uma certa forma, a fraternidade não é independente da liberdade e da igualdade, pois para que cada uma efetivamente se manifeste é preciso que as demais sejam válidas.

É eventualmente confundida com a expressão caridade e solidariedade, embora elas tenham significados radicalmente diferentes. A fraternidade expressa a dignidade de todos os homens, considerados iguais e assegura-lhes plenos direitos (sociais, políticos e individuais).

Historiadores dão conta de que a Maçonaria participou efetivamente da revolução Francesa - Malapert, orador do Supremo Conselho da França, escreveu em 1874, na revista La Chaine d´Union, " Para a prática da vida, procuramos uma formula capaz de reunir todas as condições desejáveis:“Liberté, Egalité, Fraternité” (“Liberdade, Igualdade, Fraternidade”)- é a que melhor corresponde às aspirações dos maçons". Que foram aceitas por todas as Lojas e os grandes homens da Revolução, maçons em grande parte, adotaram-na para divisa da República Francesa.

A ideia de afeto, união, carinho ou parentesco entre irmãos estava presente na palavra correspondente no grego comum do primeiro século - adelfótes. Segundo o apóstolo Pedro, fraternidade é o tipo de união que identifica os verdadeiros cristãos. 


Campanha da Fraternidade

É realizada anualmente pela Igreja, sempre no período da Quaresma. Seu objetivo é despertar a solidariedade dos seus fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação. A campanha é coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

* Educar para a vida em fraternidade, com base na justiça e no amor, exigências centrais do Evangelho.

* Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja Católica na evangelização e na promoção humana, tendo em vista uma sociedade justa e solidária.

Realizada no Domingo de Ramos, é um gesto concreto, baseado na coleta da solidariedade. É realizada em âmbito nacional, em todas as comunidades cristãs católicas e ecumênicas. A destinação é a seguinte: 45% para a própria paróquia aplicar em programas de promoção humana; 35% para a Diocese aplicar na mesma finalidade; 10% para a CNBB Regional e 10% para a CNBB Nacional.

História da Campanha da Fraternidade

Idealizada em 1961 por três padres responsáveis pela Cáritas Brasileira, tratava-se de uma campanha para arrecadar fundos para as atividades assistenciais e promocionais da instituição e torná-la autônoma financeiramente. A atividade foi chamada Campanha da Fraternidade e realizada pela primeira vez na quaresma de 1962, em Natal no Rio Grande do Norte, com adesão de outras três Dioceses e apoio financeiro dos Bispos norte-americanos. No ano seguinte, 16 Dioceses do Nordeste realizaram a campanha. Não teve êxito financeiro, mas foi o embrião de um projeto anual dos Organismos Nacionais da CNBB e das Igrejas Particulares no Brasil, realizado à luz e na perspectiva das Diretrizes Gerais da Ação Pastoral (Evangelizadora) da Igreja em nosso País.

O Secretariado Nacional de Ação Social da CNBB, no início da campanha, teve destacada atuação da qual dependia a Cáritas Brasileira, que fora fundada no Brasil em 1957. O responsável pelo Secretariado de Ação Social Na época era Dom Eugênio de Araújo Sales, Presidente da Cáritas Brasileira. O fato de ser Administrador Apostólico de Natal explica que a Campanha tenha iniciado naquela circunscrição eclesiástica e em todo o Rio Grande do Norte.

Sob o impulso renovador do espírito do Concílio Vaticano II, em andamento na época e realizado pela primeira vez na quaresma de 1964, o projeto foi lançado em nível nacional, no dia 26 de dezembro de 1962. O tempo do Concílio foi fundamental para a concepção e estruturação da Campanha da Fraternidade, bem como o Plano Pastoral de Emergência e o Plano de Pastoral de Conjunto, enfim, para o desencadeamento da Pastoral Orgânica e outras iniciativas de renovação eclesial. Ao longo de quatro anos seguidos, por um período extenso em cada um, os Bispos ficaram hospedados na mesma casa, em Roma, participando das sessões do Concílio e de diversos momentos de reunião, estudo, troca de experiências. Nesse contexto, nasceu e cresceu a Campanha da Fraternidade.

Os Bispos aprovaram, em 20 de dezembro de 1964, o fundamento inicial do evento, intitulado: Campanha da Fraternidade - Pontos Fundamentais apreciados pelo Episcopado em Roma. Em 1965, tanto Cáritas quanto Campanha da Fraternidade, que estavam vinculadas ao Secretariado Nacional de Ação Social, foram vinculadas diretamente ao Secretariado Geral da CNBB. A CNBB passou a assumir a CF. Nesta transição, foi estabelecida a estruturação básica da CF. Em 1967, começou a ser redigido um subsídio maior que os anteriores para a organização anual da CF. Nesse mesmo ano iniciaram também os encontros nacionais das Coordenações Nacional e Regionais da CF. A partir de 1971, participam deles também a Presidência e a Comissão Episcopal de Pastoral.


A Campanha da Fraternidade, de 1962 até os dias de hoje, é uma atividade ampla de evangelização desenvolvida num determinado tempo (quaresma), para ajudar os cristãos e as pessoas de boa vontade a viverem a fraternidade em compromissos concretos no processo de transformação da sociedade a partir de um problema específico que exige a participação de todos na sua solução. É grande instrumento para desenvolver o espírito quaresmal de conversão, renovação interior e ação comunitária como a verdadeira penitência que Deus quer de nós em preparação da Páscoa. É momento de conversão, de prática de gestos concretos de fraternidade, de exercício de pastoral de conjunto em prol da transformação de situações injustas e não cristãs. É um precioso tema para a evangelização do tempo quaresmal, retomando a pregação dos profetas confirmada por Cristo, segundo a qual a verdadeira penitência que agrada a Deus é repartir o pão com quem tem fome, dando de vestir ao maltrapilho e libertando os oprimidos. 

Dia da Abolição da Escravatura



A lei assinada pela princesa Isabel não modificou a condição de vida dos negros libertos.




A partir da segunda metade do século XIX, vários intelectuais, escritores, jornalistas e políticos discutiam a relação existente entre a utilização da mão de obra escrava e a questão do desenvolvimento nacional. Enquanto as nações europeias se industrializavam e buscavam formas de ampliar a exploração da mão de obra assalariada, o Brasil se afastava desses modelos de civilidade ao preservar a escravidão como prática rotineira.

De fato, mais do que uma questão moral, a escravidão já apresentava vários sinais de decadência nessa época. A proibição do tráfico encareceu o valor de obtenção de uma peça e a utilização da força de trabalho dos imigrantes europeus já começava a ganhar espaço. Com isso, podemos ver que a necessidade de se abandonar o escravismo representava uma ação indispensável para que o Brasil viesse a se integrar ao processo de expansão do capitalismo.

A Inglaterra, mais importante nação industrial dessa época, realizava enormes pressões para que o governo imperial acabasse com a escravidão. Por de trás de um discurso humanista, os britânicos tinham interesse real em promover a expansão do mercado consumidor brasileiro por meio da formação de uma massa de trabalhadores assalariados. Paralelamente, os centros urbanos brasileiros já percebiam que o custo do trabalhador livre era inferior ao do escravo.

Respondendo a esse conjunto de fatores, o governo brasileiro aprova a Lei Eusébio de Queiroz, que, em 1850, estipulou a proibição do tráfico negreiro. Décadas mais tarde, a Lei do Ventre Livre (1871) previa a liberdade para todos os filhos de escravos. Esses primeiros passos rumo à abolição incitaram a criação da Sociedade Brasileira contra a Escravidão e, três anos mais tarde, no estabelecimento da Confederação Abolicionista, em 1883.

Apesar de toda essa efervescência abolicionista manifestada em artigos de jornal, conferências e na organização de fugas, vários membros da elite rural se opunham a tal projeto. Buscando conter a agitação dos abolicionistas, o Império Brasileiro aprovou a Lei Saraiva-Cotegipe ou Lei dos Sexagenários, que previu, no ano de 1885, a libertação de todos os escravos com mais de 65 anos de idade. Na prática, a lei atingia uma ínfima parcela de escravos que detinham um baixo potencial produtivo.

Dando continuidade à agitação abolicionista, vemos que o ano de 1887 foi marcado pela recusa do Exército brasileiro em perseguir escravos e a clara manifestação da Igreja Católica contra tal prática. No ano seguinte, assumindo o trono provisoriamente no lugar do pai, a princesa Isabel assinou a Lei Áurea, no dia 13 de maio. Possuindo apenas dois artigos, a lei previu a libertação dos escravos em território brasileiro e a revogação de qualquer lei que fosse contrária a essa medida.

Apesar de estabelecer um marco no fim da escravidão, a Lei Áurea não promoveu transformações radicais nos cerca de 750 mil escravos libertos em território brasileiro. Sem nenhum amparo governamental, os alforriados se dirigiram para as grandes cidades ou se mantiveram empregados nas suas propriedades de origem. De fato, ao invés de promover a integração do negro à sociedade, a libertação foi seguida pelo aprofundamento da marginalização das camadas populares no Brasil.


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Dia do Zootecnista

Dia do Automóvel


Dia do Automóvel (também conhecido como Dia do Automóvel e da Estrada de Rodagem) é comemorado no dia 13 de maio e existem várias teorias de porque é celebrado nessa data.
A data foi criada no ano de 1934, por Getúlio Vargas, que assinou o decreto 24.224.

Origem do Dia do Automóvel

Uma das versões afirma que a data seria uma homenagem a Bertha Benz, esposa de Karl Benz, um dos criadores do primeiro carro para venda do mundo, o Benz Patent-Motorwagen - ou Motorcar.
Outra versão é de que a data comemoraria a produção do Belcar, tido como o primeiro carro de passeio brasileiro. O modelo da Vemag - Veículos e Máquinas Agrícolas S.A. teria motor 1.0 de dois tempos com bloco da também verde-amarela Sofunge. A unidade número um do automóvel teria saído da linha de produção em 1958, ou seja, 24 anos depois do decreto de Getúlio Vargas.
Uma terceira hipótese é a abertura da primeira estrada pavimentada do Brasil. A rodovia que liga a cidade do Rio de Janeiro a Petrópolis, com cerca de 66 quilômetros, foi inaugurada em 13 de maio de 1926.

5 de mai de 2013

Encerramento da Festa de São José Operário 2013




Aconteceu hoje na Comunidade Cachoeira a missa de encerramento da Festa de São José Operário 2013, junto com ela a primeira eucaristia das crianças. A comissão da capela se diz satisfeita com o resultado da festa desse ano e agradece a todos que se empenharam para fazer uma boa festa, e aos que vieram prestigiar.

Fonte: Comunidade Cachoeira blog
 

Atualmente

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

.